26/05/2016 - A questão dos resíduos sólidos em Abaetetuba: articulações necessárias

Na última segunda-feira, dia 23, aconteceu em Abaetetuba o seminário “Incubação de Empreendimentos de Catadores de Resíduos Sólidos”, no Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia  do Pará (IFPA)

 

 

 

Com mais de 150 mil habitantes, Abaetetuba é uma cidade importante para o Estado do Pará e no contexto do Baixo Tocantins. O processo de organização social no Baixo Tocantins está relacionado aos enfrentamentos de desafios, entre eles: a luta pela terra, melhoria da infra-estrutura (estradas e eletrificação), garantia dos serviços sociais básicos (educação, saúde e transporte), e o planejamento e a realização de uma política de resíduos sólidos articulada com catadoras e catadoras da região.

A questão dos resíduos sólidos foi debatida no seminário realizado pelo Programa Interdisciplinar Trópico em Movimento (UFPA) em parceria com o Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia  do Pará (IFPA), campus Abaetetuba. O evento contou com a presença de representantes da prefeitura e da Cooperativa Mista de Catadores de Materiais Recicláveis de Abaetetuba (COMCLIMA).

De acordo com Luciano Louzada, pesquisador do Programa Trópico em Movimento, foram convidados para o evento catadores e catadoras dos municípios de Barcarena, Moju, Igarapé-Miri e Cametá, mas só estiveram presentes representantes das cidades de Barcarena e Cametá.

Participaram do seminário Bernadete Martins, do Conselho Municipal de Meio Ambiente, e Keyla Lopes, da Secretaria de Meio Ambiente (SEMEIA). A prefeitura de Abaetetuba demonstrou interesse em ser parceira no projeto de incubação e afirmou que o Plano de Resíduos Sólidos  apóia os catadores e catadoras do município.

O evento contou  com a presença de Emanuela Braga, da Secretaria Municipal de Assistência Social de Barcarena (SEMAS) e de Felix Júnior, diretor de ensino do IFPA, campus Abaetetuba.

Para Luciano Louzada, o seminário possibilitou a criação de “uma perspectiva de ajuda mútua entre as cooperativas do Baixo Tocantins e diversos atores sociais e políticos da região, especialmente, em Abaetetuba”. A sinergia percebida poderá “gerar o fortalecimento da cadeia produtiva local, além de possibilitar apoio técnico-administrativo e de mercado aos catadores e catadoras”.

O seminário reafirmou a parceria entre a UFPA e o IFPA que juntos pretendem desenvolver ações de continuidade para o projeto, em que o IFPA fará a capacitação continuada dos catadores da cidade e de suas famílias. Já a prefeitura de Abaetetuba se comprometeu em pensar junto com a equipe do projeto de incubação uma agenda de ações relacionadas à política municipal de resíduos sólidos.

O projeto “Incubação para fortalecimento de cooperativas e associações de catadores e catadoras de materiais recicláveis e reutilizáveis – em municípios do Pará”, apóia o processo de incubação junto às cooperativas e associações, além de prestar assessoria técnica.

Baixo Tocantins – O cotidiano das águas da região é organizado pelos rios Moju, Pará e Tocantins.  Onze municípios compõem o Baixo Tocantins, são eles: Abaetetuba, Acará, Baião, Barcarena, Cametá, Igarapé-Miri, Limoeiro do Ajuru, Mocajuba, Moju, Oeiras do Pará e Tailândia. A microrregião localiza-se entre a Amazônia Central e Amazônia Oriental.

Texto: Lucila Vilar.  

Trópico em Movimento © 2016 - 2019.

Campus UFPA - Rua Augusto Corrêa, 01 - Casa do Poema,

Bairro Guamá, 66075-110, Belém, Brasil

(091) 3201-7700

  • Wix Facebook page
  • Wix Twitter page
  • Wix Google+ page