29/04/2016 - UFPA realiza Conferência sobre Direitos de Gaia e Libertação Animal

 

Acontece, nos dias 6 e 7 de maio, no auditório do Instituto de Ciências Jurídicas da Universidade Federal do Pará (UFPA), a Conferência Direitos de Gaia e Libertação Animal que pretende promover a reflexão sobre os direitos da natureza, sob a perspectiva sistêmica e biocêntrica, numa abordagem complementar aos direitos humanos, reconhecendo os direitos dos animais como parte de um sistema normativo holístico. O evento tem como realizadores o Programa Interdisciplinar Trópico em Movimento (UFPA) e o movimento social Teko Porã Amazônia, com apoio da FALA – Frente de Ações pela Libertação Animal, sediada em Brasília.

Para o professor Fidélis Paixão, organizador do evento e pesquisador do Programa Interdisciplinar Trópico em Movimento, “diante da grave crise ambiental que passamos, é necessário buscar respostas e formular propostas que estejam baseadas em novos paradigmas e, para isto, o evento pretende contribuir, na medida em que mobiliza pesquisadores e ativistas que atuam na temática ambiental”. Por ser uma discussão relativamente nova e que merece reflexão e aprofundamento, a conferência é importante “especialmente numa região estratégica e rica em biodiversidade, como a nossa, em que a fauna é considerada como parte da paisagem e não como um conjunto de seres com finalidade em si mesmos", explica.

Programação - No dia 6 de maio, às 9 horas, será realizada a mesa “Direitos de Gaia”, com a presença do historiador e escritor Célio Turino e do professor Thomas Mitschein.  Célio Turino foi o idealizador do Programa Cultura Viva quando foi um dos diretores do Ministério da Cultura. Este programa viabilizou a criação de 2000 Pontos de Cultura espalhados em mais de mil municípios do Brasil, beneficiando mais de oito milhões de pessoas e criando 30.000 postos de trabalho. É autor de várias obras, inclusive do livro “Ponto de Cultura – o Brasil de Baixo para Cima”. Atualmente é consultor do Papa Francisco para implantação de um programa de promoção do protagonismo juvenil em comunidades carentes de diversos países. 

Outra personalidade importante do evento é Thomas Mitschein. Sociólogo Dr. Phil pela Universidade de Muester (Alemanha), desde 1992 é pesquisador e docente em instituições técnico-científicas de países amazônicos. Autor de várias obras foi o idealizador do Programa Pobreza e Meio Ambiente na Amazônia (POEMA), de promoção da sustentabilidade em comunidades da região. Atualmente, coordena o Programa Interdisciplinar Trópico em Movimento – Rumo à Criação de uma Moderna Civilização da Biomassa na Amazônia da UFPA. 

Pela tarde, às 14h, Bruno Pinheiro, coordenador nacional da Frente de Ações pela Libertação Animal (FALA); Raimundo Moraes, promotor de Justiça no Ministério Público do Estado do Pará; e Marcos Lemos, diretor da Delegacia de Combate a Crimes Contra a Fauna e a Flora, da Divisão Especializada em Meio Ambiente (DEMA) participam da Conferência “Libertação Animal”.

De acordo com Bruno Pinheiro, a FALA é uma organização que trabalha na promoção e defesa dos direitos dos animais e atua em quatro áreas: intervenção educativa, debate filosófico, desenvolvimento legal e ação direta não-violenta. Tal iniciativa “baseia-se no princípio da não-violência e na educação para o veganismo como forma de colocar em prática as mudanças no cotidiano”, além de buscar  “o fim da rígida distinção moral e legal entre seres humanos e os outros animais, o fim da condição de animais como propriedade e a abolição da exploração animal nas mais diversas áreas: alimentação, vestuário, entretenimento, mão-de-obra e experimentação, entre outras”.

Debate entre pré-candidatos à Reitoria - No dia 7 de maio às 9 horas, os Grupos de Trabalho apresentarão seus relatos e, logo em seguida, às 10 horas, acontece o primeiro debate entre os pré-candidatos à Reitoria da UFPA. Emmanuel Tourinho, Edson Ortiz de Matos, Joao Crisostomo Weyl, Vera Lúcia Jacob e Erick Pedreira, que debaterão sobre o tema Universidade, Sustentabilidade e Identidade Amazônica.

Teoria de Gaia – Para James Lovelock, em sua Teoria de Gaia, a natureza biótica e abiótica terrestre é uma entidade holisticamente viva, que ele chama de Gaia. Assim reconhecida, como um gigantesco ser vivo inteligente, Gaia deveria ser respeitada como merecedora de direitos – os Direitos Ambientais. Mas, no contexto ético atual, acabamos perdendo de vista a noção de por que o respeito à natureza deveria objetivamente ir além da manutenção da existência humana. O que, porém, encontra uma solução na ética da senciência, aquela que fundamenta os Direitos Animais.

Serviço:

Conferência Direitos de Gaia e Libertação Animal

Local: Auditório do Instituto de Ciências Jurídicas da UFPA

Data: 6 e 7 de maio.

Horário: 9 horas.

Inscrições gratuitas aqui.  Haverá emissão de certificado.

Apoio: Frente de Ações Pela Libertação Animal (FALA) e Instituto de Ciências Jurídicas (ICJ) da UFPA.

Texto: Lucila Vilar.

 

Trópico em Movimento © 2016 - 2019.

Campus UFPA - Rua Augusto Corrêa, 01 - Casa do Poema,

Bairro Guamá, 66075-110, Belém, Brasil

(091) 3201-7700

  • Wix Facebook page
  • Wix Twitter page
  • Wix Google+ page